domingo, 9 de janeiro de 2011


Tesouro Escondido
Mar bravio! Ondas altaneiras!
Algumas chegam sorrateiras.
Outras crepitantes e barulhentas
chacoalhando tudo e arrastando areia,
jogando nela detritos e tranqueiras

Até a bela ostra, foi ali jogada,
e, com o impacto, abriu-se escancarada.
Dentro dela, linda pérola branca rosê,
Cintilava irradiante!

Que tesouro carregava aquela ostra
Sabe-se lá por quanto tempo!
Dizem que levam até cem anos
Para que este fruto saia ali de dentro!

Está jóia raríssima, nos dias atuais,
são cultivadas com produtos especiais
acelerando seu lento crescimento.

E pensar, que aquela pérola já foi um grão de areia.
Parou ali dentro, passando a ser, para a ostra
Terrível sofrimento.
Seu próprio organismo foi minimizando o desconforto
Envolvendo o grão de areia pouco a pouco,
e com um ungüento suave, foi tecendo.

A vida tem também lances como o da pérola e da ostra.
Muitas coisas nos incomodam, nos fatigam.
Nos Lapidam! Tornando-nos
dóceis, afáveis, como jóias raras,
fazendo emergir em cada um
a luz divina.





2 comentários:

  1. Muito bonita a poesia...Continue assim...Bjos e parabéns!!!

    ResponderExcluir
  2. Verdade, linda mesmo! - Sutil e profunda.

    ResponderExcluir